sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Estudar RESPIRAÇÃO é chato! - PARTE 1

Infelizmente essa é uma verdade que a cada dia está mais clara pra mim: "Os profissionais da voz não gostam de estudar/treinar/aprimorar sua respiração!"
A grande maioria parece não ter muita "paciência" com o treino da RESPIRAÇÃO. Eu não ouvi isso de um paciente ou um aluno, isso é uma verdade que me persegue desde quando comecei a cantar há 12 anos atrás, na graduação ouvi as mesmas queixas, me formei e agora trabalhando com esses profissionais diretamente, vejo isso muito claro! Estudar respiração é chato!
Minha pergunta sempre é: POR QUE? Será por que o conhecimento sobre a importância da respiração é raso? Será por que os exercícios parecem não ter fundamento? Será por que temos muita ansiedade em cantar, cantar, cantar logo logo logo? Será por que esse negócio de respirar pelo "diafragma" é muito complexo?
Acho que tem de tudo um pouco... Minha idéia nesse post não é nem de longe me aprofundar nesse mecanismo, mas sim, despertar em você leitor, uma conscientização sobre a importância e a influência que a RESPIRAÇÃO tem no seu desempenho e minimamente esclarecer alguns "mitos" que rondam esse tema!

O MECANISMO

Eu gosto de comprar a respiração com gasolina, e no caso, nós somos o carro. 

Se abastecermos o carro com uma gasolina comum, ele vai andar relativamente bem, se abastecermos o carro com uma gasolina adulterada, ele até pode andar, mas algo errado
pode acontecer tanto no desempenho quanto em alguma parte do motor. Agora se abastecermos nosso carro com uma gasolina aditivada o desempenho do carro será muito melhor e seguro!

Assim funciona com nossa respiração! Se a sua respiração tiver um padrão adequado, você vai falar normalmente e pode até cantar, mas nada se compara com uma respiração treinada e controlada. 

Nem preciso dizer o que pode acontecer com quem tem uma respiração inadequada né? Mas vou dizer assim mesmo! O ar "acaba" antes de finalizar a frase, às vezes até cortamos a "palavra no meio", o fluxo aéreo é fraco, pobre, logo a projeção poderá ser comprometida, o cansaço será bem maior, a sensação de ter corrido a São Silvestre surgirá e por aí vai...

Só de saber que a respiração é o combustível da nossa voz, seja falada ou cantada, já podemos ter noção do quanto ela é determinante.

A respiração ocorre basicamente em dois processos: um físico-químico, que diz respeito à troca gasosa e um mecânico, que envolve a pressão necessária para a entrada e saída do ar dos pulmões pela traquéia, laringe, faringe e cavidades oral e nasal.

As cavidades nasal, oral e faríngea constituem o trato respiratório, que além de serem partes intrínsecas do mecanismo da respiração, também são órgãos essenciais de articulação dos sons e de ressonância. 

Apesar de serem os mesmos órgãos envolvidos, há algumas diferenças importantes entre a respiração na VOZ FALADA e a da VOZ CANTADA.

RESPIRAÇÃO NA VOZ FALADA

Ela ocorre com mais naturalidade, a inspiração é lenta e nasal nas pausas longas e mais rápida e bucal nas pausas curtas, o volume de ar utilizado é médio, a movimentação dos pulmões durante a tomada do ar é pequena com pouca expansão da caixa torácica. A saída do ar na expiração é um processo passivo.

 *Nessa foto, separei os 4 Sistemas que envolvem a fonação (veja: Fonação) para melhorar a didática, pois as funções deles estão interligadas e uma depende da outra.

Resumindo, o ar é atraído para os pulmões entrando pelo nariz ou boca, passando pela cavidade orofaríngea, laringe (as pregas vocais estarão afastadas para a passagem livre do ar), traquéia, brônquios e pulmões. 

A relação entre alterações vocais e alterações das vias aéreas superiores abrange especialmente modificações no Sistema de Ressonância e de projeção vocal, gerando esforço laríngeo como mecanismo compensatório. Em casos de obstrução nasal, é necessário procurar auxílio médico para investigar a causa e o melhor tratamento, para evitar qualquer prejuízo mais complexo. 

É importante lembrar que a respiração durante a fala e/ou canto é do modo misto, ou seja, a entrada do ar será pelo nariz e pela boca dependendo do tamanho da pausa no discurso ou da música. No momento de repouso vocal o modo respiratório DEVE ser exclusivamente nasal, é lá que o ar será filtrado, aquecido e umedecido.

Falar de RESPIRAÇÃO demanda mais posts, esse é o primeiro. Falarei sobre a Respiração aplicada ao canto, darei uma atenção ao tal do "diafragma" e abordarei alguns mitos e verdades sobre esse mecanismo que é o nosso combustível!

Até mais!

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Vc sabe como a sua voz é produzida?

Já vi um guitarrista "tirar" sons maravilhosos da sua guitarra antiga e outro músico com o mesmo instrumento mal conseguir fazer um acorde com boa sonoridade. E pq se o instrumento usado fora o mesmo?
Soube q um baterista (muito bom por sinal) tinha uma bateria muito velha, caindo aos pedaços, cheia de almofadas no bumbo e tecidos nos tons... Mas o som q ele conseguia tirar era maravilhoso e ninguém mais conseguia tocar aquela bateria!
A pergunta é PORQUE? 

A resposta é simples... ESSES MÚSICOS CONHECIAM SEUS INSTRUMENTOS COMO NINGUÉM! Eles sabiam extrair deles o melhor som,  sabiam o que precisava ser feito para ter o melhor desempenho.  

Será que o mesmo se aplica ao profissional da voz? Vc sabe como sua voz é produzida? Vc já viu suas pregas vocais? Sabe onde elas estão localizadas?

Enquanto profissional da voz vc não tem obrigação conhecer o nome de cada músculo, nervo e cartilagem que estão envolvidos na produção da voz, mas é muito importante que tenha o mínimo de conhecimento sobre o funcionamento do aparelho fonador para que consiga utilizá-lo da melhor maneira possível sem prejuízos.


FONAÇÃO

 A VOZ é produzida pelo trato vocal e não apenas pelas vibrações das Pregas Vocais, mas hoje vou falar apenas desse som que nomeio como MATÉRIA PRIMA.

As Pregas Vocais estão localizadas dentro da laringe em posição paralela ao solo. A laringe é um tubo alongado situado no pescoço.

Gosto de ressaltar que o termo "Cordas Vocais" é incorreto, pois não estamos falando de cordinhas, como as de um violão, as Pregas Vocais são duas dobras formadas por músculo e mucosa.

Ao respirarmos silenciosamente as PREGAS VOCAIS ficam afastadas entre si permitindo assim a entrada e saída livres do ar. Para que haja produção da voz, elas devem aproximar-se e vibrar. 


Quanto mais agudo for o som mais rapidamente elas vibrarão. O tamanho e forma das Pregas Vocais influenciam na frequência, as mais finas e longas tendem a produzir sons mais agudos enquanto as mais curtas e largas, sons mais graves.


O som criado na laringe pela ativação da vibração das Pregas Vocais é a principal fonte sonora, a nomeamos de  FONTE GLÓTICA, porém ele ainda não é o som que ouvimos da nossa voz. Essa "matéria prima" criada com as pregas vocais ainda será amplificada e moldada e todas as estruturas do trato vocal influenciarão no resultado desse processo!

Assista o vídeo das Pregas Vocais em ação: Videoestroboscopia


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Reiniciando...

Bom dia!

Há quatro anos eu parei de postar aqui no Blog, com o tempo acabei perdendo a senha e login. Entretanto, continuei recebendo e-mails de leitores em uma conta vínculada e as postagens continuaram recebendo comentários e perguntas... enfim, decidi reiniciar.

Excluí todas as postagens anteriores para atualizar os conteúdos daqui pra frente.

Aqui no Voz e Fonoaudiologia você encontrará conteúdo em uma linguagem simples e prática sobre esse instrumento tão maravilhoso de comunicação que nos foi dado, a VOZ!

Seja FALADA, seja CANTADA... Como ela é produzida? O que faz bem? Ressonância, articulação quais as influências na fala e no canto? Mitos e verdades serão esclarecidos com base científica!

Sejam bem vindos ao mundo q aprendi a AMAR e q sou atuante.